quarta-feira , 2 dezembro 2020

Sindrome rara pós-Covid tem atingido crianças e adolescentes; nove mortes foram confirmadas no País

Em Pernambuco, nove casos foram confirmados, além de uma morte

Teste de Covid-19 – Foto: Divulgação/Governo de SP

Crianças e adolescentes, pós-expostas à Covid-19, têm desenvolvido a Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (Sim-P). Em Pernambuco, até o dia 7 de agosto, duas crianças haviam apresentado a doença e, atualmente, esse total já é de nove. Dentre esses casos, apenas um óbito foi confirmado: uma menina de 11 anos, que morava no Recife, e morreu no fim de junho. A doença é rara e teve o seu primeiro registro confirmado na Bahia, com a morte de um menino de 9 anos, ainda em abril. Ao todo, 14 crianças e adolescentes entre 2 e 16 anos desenvolveram a enfermidade segundo a Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab). 

Apesar de não ser obrigatório para crianças que desenvolvem a Sim-P, o novo coronavírus é observado como fator prévio, desde o início da pandemia, para diversas crianças apresentaram a síndrome. A síndrome é caracterizada por febre persistente e elevada, acompanhada de um conjunto de sintomas que pode incluir hipotensão (pressão baixa ou choque), comprometimento de múltiplos órgãos e elevados marcadores inflamatórios. O paciente pode apresentar manifestações cardiovasculares ou gastrointestinais agudas (diarreia, vômito, dor abdominal); conjuntivite ou manifestações cutâneas; quadro inflamatório e confirmação laboratorial (técnica RT-PCR ou sorologia) ou história de contato com caso confirmado do novo coronavírus. 

Dos casos registrados em Pernambuco, até o momento, quatro são do sexo masculino e cinco do sexo feminino. Os adoecimentos ocorreram entre maio e este mês de agosto. A criança que morreu foi atendida no Imip. Na Bahia, nem todas as 14 crianças e adolescentes com o diagnóstico confirmado da doença testaram positivo para o coronavírus. Apenas 11 enfermos possuíam a confirmação da covid-19, enquanto três apenas tiveram contato com alguém que pegou a doença viral. Cidade do único óbito causado pela SIM-P, Salvador teve o maior número de diagnósticos da síndrome, com oito ocorrências, seguida de Camaçari com dois pacientes com a doença. 

No Brasil, já foram registradas nove mortes pela Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica até 8 de agosto, segundo dados do Ministério da Saúde. Ao todo, são 117 casos confirmados da doença entre as crianças e adolescentes do país. “O Brasil monitora casos de SIM-P em crianças e adolescentes, entre 7 meses e 16 anos. O objetivo é identificar se a síndrome pode estar relacionada à Covid-19”, informou o Ministério da Saúde. 

Os números podem crescer já que o ministério informou que haverá atualização do assunto ainda nesta semana. O maior número de casos ocorreu no Rio de Janeiro, com 3 mortes, seguido do Pará e do Ceará, com duas mortes em cada um deles. O estado de São Paulo e a Bahia registraram um óbito cada. A maior parte dos pacientes que desenvolveram a doença tinham até 4 anos de idade. Nesta faixa foram 48 casos confirmados e seis mortes. Dos casos confirmados, a maior parte ocorreu em pacientes é do gênero masculino, com 69 confirmações.

Por Portal Folha de Pernambuco

Veja Também

Ocupação das UTIs públicas em Pernambuco sobe para 84%

Hospital Provisório no Recife – Foto: Andréa Rêgo Barros/PCR Pernambuco finalizou o mês de novembro, nesta segunda-feira …

Lajedo-PE: Adolescente de 17 anos é morto após tentar fugir de assalto

Um crime chocou a cidade de Lajedo, no Agreste de Pernambuco, na noite desta sexta-feira …

Duplicação da BR-423, no Agreste de Pernambuco, deve ser realizada em breve

Obras estão previstas para iniciar em janeiro de 2021 Cerca de 17 mil veículos trafegam …

‘Best Friday’ da Celpe oferece até 30% de desconto na quitação de débitos

A distribuidora vai disponibilizar, a partir desta terça-feira (24), condições especiais para clientes interessados em …

OMS recomenda não ir a festas de Natal e Ano-Novo: “aposta mais segura”

Organização recomenda evitar aglomerações e encontros familiares no Natal e Réveillon; no mundo todo, vacinas …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *